Siga-me

Enfim, o Windows 10!

Por Carlos Mendes "Martini"   /     ago 22, 2015  /     Geek Life  /  

Quem me conhece, sabe que não sou (nem nunca fui) um early adopter. Em todas as edições do Windows, eu sempre esperei cerca de um ano ou mais — ou no mínimo, esperei até saísse o SP1 — antes de adotar o sistema.

Foi diferente com o Windows 10. É, eu já não sou mais o mesmo.

Depois de ter passado anos em transição do Windows para o Linux e depois pouco mais de um ano usando exclusivamente o Linux (chegando ao ponto de ficar “perdido” ao usar Windows, sem saber onde fazer algumas coisas), eu resolvi retornar para o mundo encantado do Tio Bill Gates.

Não sem alguns breves arrependimentos, é claro.

Cá entre nós, eu confesso: não acho que o sistema está maduro ainda, e ele tem muito que se adaptar e muito para ser corrigido. Os computadores “desktop” ocasionalmente “dão pau” quando entram em suspensão. Algumas máquinas ficam lentas com determinados antivírus. O sistema não consegue deter a enorme voracidade do Chrome por memória.

Aliás, o Chrome é um problema à parte: rodando no Windows, ele é ABSURDAMENTE mais lento do que no Linux. Tudo bem que ele é mesmo um consumidor voraz de memória como eu disse acima, chegando a consumir de 100MB a 500MB (!!!!!!) de RAM com a página do Facebook. Mas mesmo consumindo tanta memória, ele não fica lendo, no Linux, como fica no Windows. Às vezes lag até mesmo enquanto você digita o que está procurando na busca do Google. No meu caso, que trabalho mantendo abertas no mínimo 7 abas abertas (3 delas no pesadíssimo Facebook), às vezes é preciso fechar e reabrir o navegador durante o dia, de tão lento que ele fica, um problema que não ocorria jamais no Linux.

Consumo de memória do Chrome

Consumo de memória do Chrome: um absurdo

Confesso, também, que sinto falta da linha de comando do Linux (e olha que, anos atrás, eu simplesmente a odiava). Como o cmd do Windows é extremamente limitado e o Windows PowerShell me parece uma quimera indecifrável, eu não tive alternativas a não ser instalar o CygWin, mas ainda me pego, de vez em quando, apertando F12 e esperando que o Guake se abra.

Amei:

  • Os uso de pequenos aplicativos semelhantes (ou iguais) aos do celular e do tablet facilita MUITO meu dia-a-dia, evitando que eu tenha que abrir por exemplo, programas grandes e pesados de edição de imagens para fazer tarefas simples, ou que eu tenha que usar mais abas do navegador com coisas como o Evernote e a agenda do Google deixando o Chrome ainda mais lento.
  • Para mim, que dou muita importância para o visual das interfaces, o visual do Windows 10 ficou matador. Não dá nem vontade de retornar ao Mate ou ao Gnome do Linux.
  • A detecção de travamento do Explorer, que reinicia sozinho em segundos sem que seja preciso lançarmos mão do velho CTRL + ALT + DEL para abrir o Gerenciador de Tarefas.
  • A fluidez do sistema em máquinas com poucos recursos como em netbooks com pouca memória.
  • As múltiplas áreas de trabalho, recurso que já existe no Linux desde os primórdios mas que só agora chega ao Windows sem a necessidade de instalação de softwares adicionais.

Odiei:

  • A lentidão absurda, irritante e em primeira análise inexplicável do Chrome, com um lag imperdoável para abrir e rolar a tela em sites que rodam suaves, fluídos e sem engasgos no Linux como o Facebook, o Twitter e até o site da empresa.
  • A já característica falta de um terminal (linha de comando) poderosa como a do Linux.

A nova interface do Windows 10: em minha humilde opinião, matadora

Comentários

Veja mais...

Carlos Mendes "Martini"

Carlos Mendes "Martini" é Gestor da Tecnologia da Informação pelo Centro Universitário Newton Paiva, estudante de Filosofia (aluno do Professor Olavo de Carvalho), ex-estudante de Economia na UFSC (pensando em retornar ao curso o mais breve possível) e Gerente Financeiro em uma empresa de varejo de madeiras e produtos relacionados.
Veja mais...

Últimos posts por Carlos Mendes "Martini" (exibir todos)

Sobre Carlos Mendes "Martini"

Carlos Mendes "Martini" é Gestor da Tecnologia da Informação pelo Centro Universitário Newton Paiva, estudante de Filosofia (aluno do Professor Olavo de Carvalho), ex-estudante de Economia na UFSC (pensando em retornar ao curso o mais breve possível) e Gerente Financeiro em uma empresa de varejo de madeiras e produtos relacionados.

Comments are closed.

A blog about Wordpress design, development , Software and inspiration http://themesharebd.blogspot.com